Regiões fluminenses surpreendem em Concurso de Cafés Especiais

Concurso de Cafés Especiais do Rio de Janeiro reuniu produtores locais e incentivou o Estado a revitalizar o Vale do Café, região histórica que foi responsável pela produção de 75% do café do mundo

foto: Mariana Proença

No último dia 30 de novembro, o Palácio Guanabara recebeu o III Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Com apoio do SEBRAE, o concurso teve análises realizadas às cegas e foi a oportunidade para cafeterias, torrefações e indústrias locais e nacionais provarem os cafés e arrematarem os lotes em lances do leilão, que aconteceu durante o evento.

Os produtores da região Serrana, Noroeste e do Vale do Café apresentaram no total 36 amostras da safra 2019/2020 que foram provadas por um time de Q-Graders da Academia do Café, em Belo Horizonte, em seleção prévia. Os 10 melhores cafés foram conhecidos em cerimônia no Palácio Guanabara e participaram do leilão com torrefações, cafeterias e indústrias locais.

De acordo com Moacyr Carvalho, presidente da Associação de Cafeicultores do Rio de Janeiro (Ascarj), o estado do Rio de Janeiro possui em média 50 hectares de pequenos cafeicultores e familiares que produzem um total de 386 mil sacas/ano. No evento, Marcelo Queiroz, novo Secretário de Agricultura do Estado, destaca o potencial de consumo de café do Estado e a importância do investimento em qualidade para ampliar o mercado e agregar valor ao produtor.

Durante o evento, na área externa do Palácio Guanabara, foi realizada a feira de cafés especiais em que o público pode provar os grãos do Rio de Janeiro. Dentre as marcas presentes, estavam os cafés dos finalistas e também o Café Iranita, o Café Monthal, além de outros produtores de diferentes regiões.

Safra 2019/2020

O resultado trouxe em primeiro colocado, na categoria natural, o produtor Paulo Roberto dos Santos, da Fazenda Florença, ressaltando o trabalho de qualidade iniciado em 2014 na região do Vale do Café. Antigas propriedades que produziam café no Estado, a fazenda retomou o plantio de café em 2017, com variedades novas e sob orientação da Universidade Federal de Lavras (UFLA), coordenados pelo professor Flavio Borem e pelo Sebrae RJ.

Essa saca foi arrematada com um lance de R$ 11.500 feito pela Café Capital – indústria e cafeteria da cidade. O produtor Paulo Roberto ressalta a emoção de ser premiado com a Fazenda Florença, tradicional produtora de café do século XIX e que estava há quase 80 anos sem produzir!

O primeiro lugar da categoria Via Úmida foi para o produtor Paulo Ricci, da região Noroeste do Estado, da cidade de Porciúncula, sendo ele a quinta geração da família no café. O produtor teve a saca arrematada por R$ 6.500 em um coletivo de cafeterias: Beco do Café, As Café Ipanema e a Academia do Café, que ficarão cada uma delas com 20 kg do grão premiado.

Para Bruno Souza, coordenador do concurso e proprietário da Academia do Café, os cafés estavam muito complexos e os finalistas tiveram notas acima de 82 pontos. “Os produtores do Rio de Janeiro estão de parabéns e esse é um trabalho muito importante. É prazeroso ter esses cafés expressivos e de qualidade excepcional”.

Os demais cafés finalistas do Concurso foram leiloados também com valores altos, uma média de R$ 4.000 a saca. 

Resultado

Via Úmida
1º lugar: Paulo Henrique Ricci (Sítio Santa Reginalda e Bom Jardim – Noroeste – Despolpado – 85,56 pontos)
2º lugar: Fabiano Antonio de Oliveira Rodolphi (Sítio Vai e Volta – Noroeste – Desmucilado – 84,81 pontos)
3º lugar: Enio Geraldo Marteline Neles (Fazenda São Mamede – Noroeste – Despolpado – 84,75 pontos)
4º lugar: Everaldo Tardin Erthal (Fazendinha Bela Vista 1 – Serrana – Descascado – 84,38 pontos)
5º lugar: Alyne Silva de Almeida (Sítio Vai e Volta – Noroeste – Desmucilado – 82,56 pontos)

Natural
1º lugar: Paulo Roberto dos Santos (Fazenda Florença – Vale do Café – Natural – 84,69 pontos)
2º lugar: Evando José Menim (Fazenda Boa Esperança – Noroeste – Natural – 84,25 pontos)
3º lugar: Geraldo Vargas de Moraes (Fazenda Ribeira e Soledade – Noroeste – 83,38 pontos)
4º lugar: Enio Geraldo Marteline Neles (Fazenda São Mamede – Noroeste – 83,31 pontos)

Matéria original Revista Espresso, pela jornalista Mariana Proença. Leia aqui!

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *