ABIC entrevista: Fábio Queiróz, Presidente Executivo da ASSERJ

Fábio Queiróz_Homem branco, em pé, de braços cruzados em um corredor de supermercados_Crédito Asserj
23/04/2021
Publicado em

O Jornal do Café conversou com Fábio Queiróz, Presidente Executivo da ASSERJ, sobre o papel dos supermercadistas no que diz respeito à segurança alimentar.

A ABIC tem certificados que atestam a qualidade do café comercializado nos pontos de venda em todo o Brasil, um deles é o Selo de Pureza. Como avalia essa contribuição em relação à qualidade dos produtos oferecidos nas prateleiras?

Um dos principais objetivos da ASSERJ é orientar seus associados sobre importância de entregar produtos de qualidade ao consumidor. Afinal, todos nós somos clientes e quando vamos ao supermercado, buscamos pela melhor procedência ao escolher o que vamos colocar no carrinho. Por isso, os selos e certificações de produtos alimentícios são tão importantes. Destacar na gôndola a mercadoria de excelência, produzida com segurança e sem adulteração, é uma medida positiva e que auxilia muito na hora da compra. 

Sabemos que uma das contribuições do selo é oferecer segurança alimentar ao consumidor que adquire o produto. Pode mencionar algumas ações que os supermercadistas adotam também com esse mesmo objetivo? 

Acompanhar de perto a higiene dos produtos, o manuseio, a estocagem, a data de validade e a exposição deles no supermercado fazem parte de um bom controle de qualidade e tem como objetivo principal garantir que não ofereçam nenhum risco à saúde dos clientes. E é isso que nossos associados cumprem diariamente. Temos constantemente treinamentos e cursos de atualização sobre segurança alimentar para poder capacitar cada vez mais nossos associados. 

Em algumas situações, encontramos produtos que usam o certificado sem a devida autorização, já notificados pela ABIC, mas que mantêm a irregularidade. Como os supermercadistas podem ajudar nesse controle?

Cumprindo todas as normas de segurança e estando por dentro de quais produtos possuem selos e certificações legítimas. Dessa forma, o associado aprende a discernir quais são as marcas confiáveis em seu catálogo. É essencial realizar um trabalho de pesquisa e conhecer o produto que está à venda. Isso garante a qualidade e potencializa as vendas, por apresentar um domínio e propriedade de causa. É preciso analisar cada embalagem, estudar cada marca e se aprofundar na origem do insumo, não apenas colocar na prateleira e oferecer ao cliente sem saber a procedência. Devemos ter essa responsabilidade e empatia. 

De que forma esse selo também é benéfico para a segurança do supermercadista? 

Uma vez que o supermercadista oferece qualidade ao seu consumidor e prioriza a segurança dele, está também garantindo o seu próprio bem-estar e a confiança no seu estabelecimento. Seus clientes voltarão a comprar na loja, seus amigos e família estarão tendo acesso a produtos autenticados e o próprio dono do empreendimento usufruirá de marcas responsáveis e de primeira linha. Trata-se de posicionamento, de escolha e de uma seleção atenta do catálogo e percepção de detalhes que trazem resultados. Uma gestão consciente é o primeiro passo para o sucesso de qualquer negócio, e isso se aplica no controle de qualidade e compromisso com a segurança de todos. 

Clique aqui e leia mais sobre segurança alimentar.

Redação: Usina da Comunicação

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *