Com a presença do economista José Roberto Mendonça de Barros, ABIC realiza a primeira edição do ABIC Convida

mjrmbjc

Mediada pela jornalista Thaís Dias, a estreia da série de lives que será transmitida através do Instagram da associação teve como tema o cenário político e econômico pós-pandemia

Assessoria de Comunicação ABIC – Usina da Comunicação

Diante de um momento atípico como a pandemia da Covid-19, os eventos online ganharam mais força do que nunca. Com o intuito de fornecer conteúdos relevantes sobre o universo do agronegócio café, a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) criou o ABIC Convida, uma série de lives que será transmitida através da conta no Instagram da associação (@tudodecafe).

José Roberto Mendonça de Barros, Economista e Sócio da MB Associados Consultoria Econômica, foi convidado para inaugurar a série, que foi apresentada por Thaís Dias, Diretora de jornalismo do Grupo Bandeirantes de Comunicação no Rio de Janeiro. Em 40 minutos de conversa, o profissional falou sobre o cenário político e econômico, no país e no mundo, pós-pandemia e ainda respondeu questionamentos do público.

O primeiro assunto abordado foi o impacto econômico e produtivo do novo coronavírus. Segundo Mendonça de Barros, trata-se de um choque negativo único que começou com um problema sanitário e que ainda não possui cura. Como a recomendação das autoridades de saúde é respeitar o isolamento, o consumo e a produção diminuem, provocando uma grave recessão. A expectativa de retomada no crescimento e recuperação fiscal é de dois a quatro anos.

Outra grave situação que se apresenta diante do atual cenário é a dificuldade que muitos empresários estão enfrentando para manter seus negócios funcionando. Com a queda na arrecadação, muitas empresas irão fechar e empregos serão destruídos. A expectativa de queda do PIB em 8%, apontada pelos especialistas, assusta e requer uma atenção especial por parte do Governo Federal.

Embora as adversidades sejam preocupantes, o economista se mostra otimista em relação à reestruturação da economia. Ele diz ser necessário reformular o investimento e assumir o controle sobre a situação. Além disso, retomar a produtividade é essencial para fazer com que o mercado nacional seja novamente aquecido e possa voltar a se desenvolver. As políticas externas também precisam de atenção especial, uma vez que a imagem do Brasil no âmbito internacional está bastante prejudicada.

A Covid-19 não impactou somente o setor financeiro, mas também transformou completamente a maneira como as pessoas irão se relacionar no futuro. O especialista acredita que os comércios locais serão privilegiados e que um estilo de vida mais simples prevalecerá. “O setor de telecomunicações se desenvolveu. Muitas empresas perceberam que será possível manter a produtividade à distância. Fora reduzir custos, essa nova perspectiva poderá melhorar a qualidade de vida. Acredito que o home office irá crescer no pós-pandemia. O delivery também veio para ficar e se tornou uma nova possibilidade de negócio”.

A força do setor cafeeiro

De maneira geral, a indústria do agronegócio é o setor mais bem sucedido do país, já que possui investimentos e muito conhecimento técnico, o que a torna bastante competitiva. Mendonça de Barros diz acreditar no segmento para contribuir com a retomada econômica e aceleração do progresso no Brasil. Ele ainda expressou a sua satisfação com o segmento do café, afirmando que o mesmo pode servir de exemplo. “O café cresceu muito nos últimos anos. Acabou virando um grande companheiro durante a pandemia. Oferece valor e variedade para o consumidor. Há 40 anos, o produto ocupava um pequeno espaço nas gôndolas do mercado. Hoje, a realidade é diferente. Vejo muitos jovens bebendo café, atualmente, o que não acontecia antes”.

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *