Café: Colheita atrasa por restrições no transporte e número de trabalhadores

Consultoria Safras & Mercado diz que morosidade acontece também porque produtores optaram por esperar as plantas atingirem percentual maior de maturação

grãos de café
Foto: Sebastião Afonso da Silva/ Arquivo pessoal

A colheita de café da safra brasileira 2020/2021 no Brasil atingiu 13% até a terça-feira, 19. De acordo com a consultoria Safras & Mercado, tomando por base a estimativa de produção de 68,1 milhões de sacas, já foram colhidas 9,17 milhões de sacas.

A empresa ressalta que os trabalhos de campo estão atrasados em relação ao ano passado, quando 16% da safra estava colhida neste período. Os trabalhos também estão atrasados frente à média dos últimos 5 anos, que é de 15%.

Segundo o consultor de mercado Gil Barabach, a colheita da safra brasileira está mais arrastada nesse início de trabalhos, especialmente no conilon. “As restrições para locomoção e ao número de trabalhadores nas lavouras, no Espírito Santo, particularmente, explica a morosidade. Outro motivo, é a opção do produtor em esperar as plantas atingirem um percentual maior de maturação, para, com isso, reduzir o número de idas às lavouras, otimizando a mão de obra. É a colheita de café se ajustando aos tempos de pandemia”, indica.

No Espírito Santo, por exemplo, os trabalhos estão em 18%, contra 24% no ano passado e na média dos últimos cinco anos. Em São Paulo, a retirada chega a 9%, ante 9% em 2019 e 7% na média. Em Minas Gerais, a colheita está em 10%, contra 9% no ano passado e 10% na média dos últimos cinco anos. No Paraná, a retirada do grão alcançou 9%, contra 31% no mesmo período do ano passado e 14% na média dos últimos anos.

* Por Agência Safras/Canal Rural

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *