Para Farnese, preços só vão reagir mais com problemas na safra 2020-

IMG_3499

Agência Safras

Una, 07 de novembro de 2019 – Os preços do café no mercado internacional só vão reagir mais, se afastando da linha de US$ 1,00 a libra-peso na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) com problemas na safra brasileira de 2020. É o que pensa o diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sílvio Farnese. Ele falou à Agência SAFRAS durante o 27º Encontro Nacional da Indústria do Café (Encafé), que ocorre de 06 a 10 de novembro no Hotel Transamérica Ilha de Comandatuba, no município de Una, na Bahia.

Para Farnese, sem uma quebra na safra brasileira é difícil uma recuperação mais significativa nas cotações no curto a médio prazo. Destacou que os preços foram muito pressionados desde a safra recorde do Brasil em 2018, com a produção brasileira e mundial superando o consumo. “Ainda há muito café no mercado mundial. O estoque até é pequeno, mas a oferta sinaliza que tem bastante café disponível”, afirma. O cenário ainda é de uma oferta tranquila para os consumidores.

O diretor salientou que a salvação para o Brasil é o câmbio. Com o dólar em torno de R$ 4,00 há sustentação para as cotações em reais no país. “Mas se estivéssemos com um dólar a 2 reais, por exemplo, aí a crise seria demais”, pondera. E ele acredita que o dólar não deve cair muito além dos patamares atuais.

Fonte: Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *